…jogue suas mãos para o céu e agradeça se acaso tiver alguém que você gostaria que estivesse sempre com você. Na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê…”


martin_blog.jpg Minhas insônias permanecem inalteradas. Já não sei mais o que é deitar, dormir e acordar no dia seguinte e isto além de me causar um cansaço tremendo, mexe profundamente com meu estado de espírito. Martin ronca. Dicker ronrona. Eu suspiro. Às vezes Luka acorda de madrugada para me fazer companhia. Então nós conversamos em pensamento para não despertar os senhores ao nosso lado. Pela manhã Martin pergunta como passei a noite. Eu já não respondo, resmungo qualquer coisa pra ele entender que continuo na mesma enquanto ele tenta me consolar, aconselhando um “Mittagschlaf” (a sesta). Mas o Mittagschlaf não traz bons resultados, simplesmente porque o sono não vem e eu continuo com cara de bolacha amassada e mal humorada. Uma noite dessas, ele pegou um dos livrinhos do Luka na estante e me contou uma história. A tentativa de me botar pra dormir foi inútil, claro, mas saber que ele se preocupa comigo me dá forças para aguentar os meses que ainda faltam.

einsternfurdich_blog.jpg “Uma estrela pra você”

“Pscht! Fiquem quietos. Eu acho que o vovô está nos chamando!”

Bianca, a coelhinha, tem bons ouvidos.

“Alex! Simon! Lukas! Yvonne! Já está na hora de ir para casa, Bianca, desligue a música, por favor!”

A festa acabou. O vovô é muito rigoroso.

Bianca apagou a luz e ficou na janela. Os seus amigos foram todos para casa e da janela ela pode vê-los. Lukas, o ouriço, está tocando a campainha da casa dele. Tchau Lukas! Alex, o crocodilo, já está indo pra cama. Tchau Alex! Simon, o pequeno urso, está subindo as escadas de sua casa. Boa noite, Simon! Yvonne, a pata, ainda está caminhando na rua. Até amanhã, Yvonne!

“E aí, como foi a festa?”

“Maravilhosa, vovô!”

“Que bom. Mas agora está na hora de escovar os dentes. Já está muito tarde.”

“Oooh! Agora? Vamos brincar mais um pouquinho…”

“Você já brincou muito por hoje. Veja, os seus amigos já estão todos indo dormir.”

Pela janela eles vêem que Lukas já está na cama. A mãe dele está contando uma história.

Yvonne está penteando os cabelos, Alex escovando os dentes e Simon bebendo leite.

Bianca balança a cabeça. O vovô tem razão.

“Tudo bem, vovô, nós podemos brincar amanhã. Mas você poderia me contar uma história pelo menos?”

“De acordo”, respondeu o vovô sorrindo. “Aqui está o seu leite”. einsternfurdich2_blog.jpg

 

“Vovô, por que as noites são escuras?”

“As noites são escuras porque o sol está dormindo”

“O sol dorme como nós?”

“Bem, é assim que costumamos dizer. Venha, deite-se direito e eu vou te explicar porque as noites são escuras”.

“Oh, que bom!”

Bianca entrou rapidinho embaixo do cobertor.


“Sabe, o sol nos dá calor e luz”

“Como uma lâmpada?”

“Como uma enorme lâmpada.”

“Ah ha! E à noite alguém o apaga?”

“Hmmm ahmmm”. O vovô não soube direito o que devia responder.

“Não, ninguém pode apagar o sol. Ele se esconde atrás da floresta e então tudo fica escuro”.

“E as estrelas, vovô? Elas são pequenas lâmpadas?”

einsternfurdich1_blog.jpg “Pode-se dizer que sim. Está vendo aquela estrela que está em cima da casa da família ouriço? É a estrela do Lukas. Enquanto o Lukas dorme ela o fica vigiando.”

“Eu tambem tenho uma estrela, vovô?” Bianca ficou procurando sua estrela no céu.

“Você também tem uma estrela, assim como todas as crianças, mas você não pode vê-la. Sua estrela só vai brilhar quando você dormir. Ninguém consegue ver sua própria estrela. Está vendo? Agora as estrelas do Simon, Alex e Yvonne estão nascendo, significa que eles estão todos dormindo. Por isso eles não conseguem ver suas estrelas. Mas eu vou ver a sua, minha querida, assim que você adormecer”.

Mas a Bianca já não está mais prestando atenção no vovô. Ela adormeceu. einsternfurdich3_blog.jpg O vovô a ajeitou devagar na cama. Depois, fechou a cortina e apagou a luz. Antes de ir dormir, o vovô ainda deu uma volta pela casa. Ele olhou para o céu.

“Como a sua estrela é brilhante, minha querida!”

E feliz, fechou a porta devagar.

“Ein Stern für dich”, Michel Gay, Josette Chicheportiche, aus dem Französischen von Holger Fock und Sabine Müller, Moritz Verlag, Frankfurt am Main.”

Anúncios