Tivemos dois dias de cineminha intenso. A primeira sessão foi na ginecologista – consulta de rotina – e pelo visto está tudo nos conformes, tanto comigo quanto com o bebê. Vimos nosso pequenino na tela do ultrasom de novo e ele deu até tchauzinho para nós. A qualidade da fotinha, infelizmente, não é das melhores, mas pode-se ver o corpinho todo dele e as pernas na posição de peru de natal. Outras partes do corpo ficaram por conta da nossa imaginação, que anda a mil, e como não soubemos ficar com o bico calado, acho até que a médica deve estar pensando que Martin e eu somos dois alucinados.

A segunda sessão foi no Cinemax aqui perto de casa. Fomos ver “Os Simpsons” e eu não pude deixar de fazer uma certa previsão analógica entre o Bart, Homer, Martin e o bebê.

Passada a euforia, tivemos que nos concentrar na espera do dia seguinte, dia em que seria feita a Amniocentese. Amniocentese nada mais é que um exame de prevenção. Nele, é introduzida uma agulha finíssima na barriga da mamãe e é retirada uma certa quantidade de líquido amniótico para análise em laboratório. O fantasma deste exame me fez perder grande parte da alegria da primeira e da segunda sessão de cinema e já nem conseguia mais olhar pra fotinha do bebê-peru. A noite ficou tão looonga…

Mas, finalmente, amanheceu. Fiz uma oração e me despedi do Dicker. Assim que entrei na clínica, comecei a me sentir mais à vontade. A recepção foi ótima e foi me explicado tudo com detalhes e com uma paciência surpreendente. A psicóloga que me deu as orientações de como tudo seria feito nem parecia alemã de tão simpática e meu medo foi sumindo enquanto ela falava. Fui para uma outra salinha. A médica me recebeu com sorriso nos lábios e enquanto eu me deitava, ela ficou conversando com a gente como se o que viria a seguir fosse a coisa mais natural do mundo. Frente a mim, estava um monitor enorme e ao meu lado Martin, sentado numa cadeirinha, tenso.

babylutschen-kopie.jpg Começou a terceira sessão. Esta sim, perfeita, clara, nítida e melhor que qualquer Cinemax alemão. Pudemos ver nosso pequeno detalhadamente, inclusive o bilinguilin dele. Sim, senhores, é um menino. Luka! Depois das  emoções, medições e mais medições foram feitas e iniciou-se a retirada do líquido. Resultado: em menos de um minuto, três seringas ficaram entupidas de uma aguinha amarela. Não tive coragem de observar a agulha entrar no meu útero, mas Martin, que viu tudo no monitor gigante, afirmou que a agulha ficou bem longe do Luka, que, aliás estava tranquilíssimo, chupando o dedo.

Segundo a médica, tudo parece correr perfeitamente, mas devemos esperar duas semanas para receber o resultado do exame. Não me preocupo com ele. Sei muito bem que Luka é saudável, lindo como o paipai dele e, claro, inteligente como a mamãe.


Anúncios